quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Marina

Pornô conto –

MARINA

Estava ali esperando a mais ou menos uma hora, no relógio da igreja marcava 23 horas. A escuridão da rua não era um lugar muito convidativo para uma garota de 18 anos, mas Marina já estava acostumada com aquilo.
Levantou a vista, olhou para frente e pode ver Otavio chegando. Abraçaram-se no escurinho, trocaram longo beijo, durante o beijo Otavio procurava as parte mais intima da garota para acariciar.
Otavio excitado, a encostou no muro da igreja colocou-a de costa e abaixou-lhe a calcinha e com seus dedos acariciava a intimidade úmida da garota que gemia e se retorcia. Abaixou se e começou a lamber a vagina de marina que se agarrava ao muro como suplicando uma penetração já praquele momento.  
Otavio, experiente e calmo curtiu com mais calma o momento. Sua língua sugava a buceta de marina como se fosse uma saborosa fruta, Marina gemia. A língua de Otavio agora subia mais um pouco e procurava o orifício anal da garota, local onde sua língua furiosa fazia uma devassa. Marina gemia como uma cadela no cio
Otavio levantou, colocou o pau pra fora e enfiou com força no cu de marina que soltou um gemido surdo enquanto o vaivém frenético de Otavio se fazia constante. Otavio em sua loucura inata gemia junto e puxava os cabelos de marina, minutos depois ele gozava como um louco e sua porra escorria pelas coxas de marina.
No relógio da igreja marcava 23h30min.

Nenhum comentário: