sábado, 23 de outubro de 2010

O Flagrante



Dóris estava cheia dos maus tratos que a mãe lhe impunha, não os maus tratos físicos, antes fosse - pensava ela, mas sim dos maus tratos morais. A mãe a chamava de vagabunda o tempo todo, a criticava perante as amigas, dizia que a filha não era um bom exemplo pra ninguém, e isso deixava Dóris muito triste.
Tudo bem que ela pisava na bola às vezes, sua mãe já a havia pego no flagrante seis vezes somente esse ano em seu quarto fazendo chupeta para seis diferentes amigos da escola, isso a deixava um tanto quanto sem razão em rebater as criticas da mãe. Pensava em mudar seu modo de ser, mas sua paixão por pintos de amigos escolares não deixa.
Estava agora no quarto pensativa. Ligou para Saulo seu amigo, convidou-o a vir para sua casa, disse que estava sozinha solitária e precisava de alguém para desabafar. Saulo veio correndo. Nessa tarde sua mãe contabilizou o sétimo flagrante, ao abrir a porta do quarto viu sua filha com a boca cheia de porra, acabara de receber um jato na cara. Não tem jeito essa menina – pensou.

Nenhum comentário: