terça-feira, 2 de novembro de 2010

A bela da praia





Juliano acabara de bater uma punheta no banheiro do bar da praia onde estava tirando férias. Saiu todo atabalhoado do bar, estava em transe ainda, mal podia acreditar na beldade que vira deitada na areia toda sensual cheia de amor pra dar. Tudo bem ele sabia que essa senhorita estava cheia de amor pra dar, mas pra ele que não era, então lhe restou apenas correr para um boteco e bater punheta. Ao voltar para a praia a viu novamente, correu para o bar pediu para ir  ao banheiro e bateu outra. Abelardo, o dono do bar pensou que se tratasse de um viciado em drogas que usava o banheiro do seu estabelecimento para se drogar.
Passou mais meia hora e la vem Juliano e pede para ir ao banheiro novamente, Abelardo o dono do bar pergunta se o rapaz esta com algum problema, Juliano diz que é punheteiro contumaz, e toda hora ele encontra uma dona muito gostosa e bonita na praia, uma verdadeira beldade, não agüenta e vai bater punheta. Abelardo ri da historia do rapaz, mas, curioso sai pra ver quem é a tal beldade. 
Abelardo anda pela praia e da de encontro com uma deusa da sexualidade. Sai correndo e vai para o banheiro do seu bar que está ocupado nesse momento por Juliano, Abelardo desesperado bate uma ali mesmo na porta, um vexame. 

Nenhum comentário: