quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

A Advogada

Casar-se e quem sabe ter uma dúzia de filhos. Sonho muito estranho no mundo atual, mas era isso que Rosane sonhava para si. Advogada já formada e com um escritório de advocacia em uma das ruas mais chiques da grande São Paulo esperava com ansiedade realizar esse seu sonho. Na verdade esse sonho havia nascido da sintonia que tinha com sua mãe adotiva, mãe essa que ela muito amava. Lurdes sua mãe de criação não podia ter filho e com isso havia adotado ela e mais três crianças. Rosane fazia belos planos, casar-se ter alguns filhos carnais e alguns materiais, grana ela tinha para isso e muito amor também. Quem seria o pai das crianças? Ora, isso já estava mais do que esquematizado, Haroldo, um advogado muito bem conceituado teria esse prazer. As noitadas regadas a sexos de todas as formas após o expediente já fazia Rosane sonhar com os dias de casada com Haroldo e por falar isso hoje seria uma delas, sexta feira era o dia D para o sexo selvagem que Haroldo gostava. Para Rosane, valia à pena acordar no outro dia toda esporrada e com o ânus doendo devido as estocadas fortes de Haroldo.


Nenhum comentário: