domingo, 27 de fevereiro de 2011

Coisa Feia


Certa vez eu conversava amigavelmente com um colega e falávamos de mulheres e de como elas haviam conseguido merecidamente muitas coisas que antes eram somente privilégio dos homens na sociedade. Nessa conversa que terminou tomando um bom tempo nosso ele me disse também, que as mulheres estavam cada vez mais se equiparando ao homem tanto profissionalmente como na vida e até mesmo na mediocridade e falta de vergonha na cara, só que o assunto que quero tratar agora não é de moralismo, mas apenas comentar o que antes era “coisas de homem” passa agora a fazer parte também do universo feminino.
Essas atividades notadamente são vista nos esportes onde as vemos superar a cada dia um novo Record. Esportes que foram mais da ala masculina como boxe, futebol e halterofilismo agora faz parte do universo feminino e é ai que eu quero chegar. Dentre os esportes que eu citei o halterofilismo e o fisiculturismo cultura ao corpo a ponto da musculatura ficar igual a de um homem no meu ponto de vista é um absurdo, eu não me conformo em ver um corpo feminino transformado em uma bisonha arquitetura cheia de nervos e músculos, fica uma coisa extremamente horrorosa desagradável e de um mal gosto a toda prova. Esse tipo de atividade joga fora toda aquela dimensão maravilhosa que um corpo feminino todo torneado cheios de curvas pode proporcionar. O que não me conformo é que inda tem gente que acha isso tudo uma maravilha. Eu penso que tal atividade esportividade jamais deveria ter chegado a ser intensificada pela ala feminina, afinal mulher nasceu para ter um corpo bonito e não se transformar numa coisa bisonha e hibrida como vemos na foto, é lamentável!

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

TESÃO, SIMPLESMENTE TESÃO...


 


Primeiro é o beijo. A língua enrolada na outra. Depois as mãos unidas acariciando seios, lambuzando corpos, descortinando sexos.

Em seguida é a nuca seca pronta pra mordida e a mordida desenhando marcas bem no pescoço, próximo da face.
Depois é um tapa, um após o outro. A contração dos músculos, em posição a libido. O fogo e a brasa. O delírio e o orgasmo.

A música sendo ditada pelo ritmo dos corpos na cama, os gemidos - as trocas de carinho, 

a eterna sinfonia dos amantes.
O vem e vai de almas e corpos desprendendo do âmago (numa violência quase suicida) um líquido que vomita agonia.
Olhos e quadris, prontos para o desejo. 
Beijo e carinho: o sereno... estrelas, a noite, o luar, o brilho da manhã,
o desejo e o orgasmo.
Eu e você. Você e eu. Eu e você. Entrelaçados para sempre. Para sempre unidos. Para sempre sozinhos... para sempre... 
Para sempre com você... eternamente só...
(...)



(Diego El Khouri)

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Brincando


Na verdade Clarete queria apenas saber de diversão, principalmente com homens. Sabia que éra gostosona, não tinha um corpo estilo Gisele Bundchen, mas com certeza seu corpo era do tipo que levantava a galera quando passava pela rua onde algum grupo de homem se encontrava.
Hoje é sabado, Clarete se diverte em um barzinhos com amigas. Na verdade ela gostaria da compahia masculina, mas tudo bem, tem as amigas. Brincando com as amigas e tirando fotos pensou o quão interessante seria suas amigas chupando os seus peitões. depois de muita bebedeira conversou com as duas, e logo estavam elas num quarto se divertindo. A noite realmente é uma criança.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Vera Nossa!

Eterna Vera Fisher, Musa de todos nós. Eternas musa de tempos escondidos, salas especiais que nunca sairão dos nossos pensamentos.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

VERA FISCHER



Vera Fischer sempre será bela
mesmo que suas entranhas ardam
vinagre e alho com catupiri.
Sua beleza é eterna como o vazio.

Assim a concebo na minha mente
ao lembrar de minha infância
quando as escondidas ligava a TV
para vê-la pelada na tela.

A mais bela das mais belas
estilizadas criaturas da mídia.
Seios e bunda e elegância.

Ser místico de um fascínio imponderável.
Com  a mão direita no desejo
lembro de minha infância horas a fio no banheiro.

(Por Diego El Khouri)

Esse poema está no molho livre blogspot