segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Lidiane


Lidiane pensava que havia visto tudo o que tinha de ser visto em anatomia sexual masculina, havia transado com uma quantidade enorme de homens de todo tipo, gordo magro, alto baixo, barrigudo, sem barriga, preto, branco, loiro, japonês, careca, banquela, cabeludo, roqueiro, punk enfim todo o tipo. O bem da verdade ela queria mesmo que fossem homens machos originais sem nenhum ranço aviadado dos tempos atuais, homens que gostassem de mulheres, homens que gostassem de usufruir de tudo de bom que uma fêmea no cio pudesse proporcionar, e foi assim sua vida até que conheceu Jarbas Sulino, um paraibano arretado. Quando foi pra cama com Jarbas Sulino pela primeira vez ficou espantada com o tamanho do membro sexual de seu parceiro que segundo ela deixava de ser um pênis para se batizado de caralho, tamanho a proporção do individuo em estado de ereção. Lidiane se apaixonou pelo pinto do paraibano e nos primeiros 45 minutos de sexo limitou-se apenas a mamá-lo deixando Jarbas totalmente maluco e desesperado. Lidiane brincava com o membro que mais parecia um taco de basebol. Depois da brincadeira foi o momento de um promiscuo sexo onde Lidiane ficou no dia seguinte sem conseguir andar ou sentar devido a paixão paraibana por sexo anal. Lidiane literalmente tomou no cú (e gostou).

Nenhum comentário: