quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Sorvete de carne



Áurea era seu nome, loiríssima, e se irritava com o costume que as pessoas tinham de tratar-lhe de loira burra, frase idiota essa criada em uma musica popular por um cantorzinho idiota que atingiu até um certo grau de sucesso. Áurea passeava a tarde nas calçadas das belas ruas da cidade onde morava, desfilava o seu corpo escultural pela brisa do momento e não havia homem quem não desse uma olhada em sua bunda e lhe dirigisse um gracejo. Áurea agora para perto de um sorveteiro e pede um sorvete de chocolate, cada chupada que da no sorvete lhe aflora um desejo sexual que ela alimenta a anos, o do sexo oral. Passam-se mais alguns momentos e o sorveteiro esta agora num canto qualquer encostado num muro enquanto Áurea sacia-se com o membro sexual do sorveteiro que geme de prazer.

Nenhum comentário: