quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

A boqueteira


Mamar era o que Daniela mais amava fazer. Quando criança demorou demais para largar a chupeta, e só depois de grandinha deixou esse feio costume de lado, mas no seu intimo ainda haveria de substituir a chupeta de plástico por algo melhor, e foi o que descobriu em sua pré adolescência. Daniela chupava com fúria e prazer o pau da molecada da vizinhança, passou pouco tempo e seu apelido de boqueteira se consagrou entre a molecada. Cresceu mamando mastros de todo tamanho e grossura, amava fazer isso e fazia de graça, sem pudor sem remorso e sem nenhum tipo de preconceito. Hoje aos 30 anos já chupou mais de mil caralhos e engoliu mais de um caminhão pipa de porra, mas está aí ainda firme, mamando e mamando sempre.